A segurança do paciente na realização de exames em tempos de pandemia

Preservar a segurança da enfermagem é investir na segurança do paciente; entenda

Na semana do Dia Mundial da Segurança do Paciente, o autocuidado dos profissionais da saúde ganhou destaque na campanha de conscientização promovida pela Organização Mundial da Saúde, neste ano. Fundamental no processo de cuidado e acolhimento, a enfermagem criou e redobrou as medidas de segurança para atender pacientes em tempos de pandemia do novo Coronavírus. 

Dentre as mudanças causadas pela COVID-19, unidades hospitalares criaram estratégias para preservar a segurança dos colaboradores e de pacientes. Uma das áreas afetadas pelas modificações, o Centro de Diagnóstico Por Imagem precisou de medidas preventivas para continuar os atendimentos eletivos com segurança.  

A enfermeira Misma Naama Alvarenga Costa Tukamoto é coordenadora do Centro de Diagnóstico Por Imagem do Americas Medical City, no Rio de Janeiro (RJ), e responsável por gerir toda a equipe de técnicos e enfermeiros dos setores de tomografias, ressonância, raio-X, hemodinâmica, medicina nuclear e outros. Além de administrar a agenda de exames externos, exames de emergência e exames de pacientes internados, Misma é responsável por gerir também os pacientes.

“Nosso papel é oferecer um atendimento satisfatório ao paciente e todo o processo é importante, desde a checagem do nome e data de nascimento na pulseira até o momento em que ele sai do hospital ou retorna ao setor de origem. Nos casos de emergência e de pacientes internados, o cumprimento de horário, checagem da ficha (se é alérgico a contraste, por exemplo) e a capacidade física e estrutural para um melhor atendimento são responsabilidades nossas e requerem atenção e empatia”, conta Misma. 

A tomografia foi o exame mais solicitado durante a pandemia e foi preciso lidar com a alta demanda emocional de pacientes e colaboradores, segundo a coordenadora de enfermagem. “Temos duas salas de tomografia no Americas Medical City e passamos a usar uma delas apenas para pacientes com suspeita ou confirmação de COVID-19. O medo dos pacientes e a insegurança dos colaboradores, no início, foi um desafio para todos, mas hoje estamos conscientes e capacitados para enfrentar qualquer adversidade”, afirma ela. 

O cuidado na realização de exames sempre foi individualizado e, desde a pandemia, protocolos de higiene e proteção passaram a valer também para os pacientes. “É um setor muito dinâmico e que funciona 24 horas. Criamos uma estratégia de contatar pacientes eletivos para checar suas condições e, assim, gerenciar de maneira segura e eficaz a realização do exame – evitando qualquer risco de contaminação”, diz. 

“Passamos a realizar visitas diariamente nas salas de exame para validar os protocolos de segurança – devido a constante atualização dos mesmos – e conversar com os colaboradores, checar as condições dos pacientes com objetivo de tranquilizar e passar confiança a todos”, finaliza Misma.

Mais conteúdos