Prevenção contra o câncer de mama: a enfermagem também precisa de cuidado

Responsáveis pelo acolhimento e cuidado com a saúde da mulher, enfermeiras, técnicas e auxiliares de enfermagem precisam do autocuidado

Há mais de três décadas o mês de outubro é dedicado à saúde da mulher com a campanha Outubro Rosa – com objetivo de salientar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e colo do útero. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer, o câncer de mama é o segundo mais incidente nas mulheres em todo Brasil – depois dos tumores de pele não melanoma – e, quando descoberto no início, tem 95% de chance de cura.  

A saúde primária exerce papel fundamental na prevenção e no combate ao câncer. A postos 24 horas, a enfermagem oncológica orienta, acolhe e acompanha mulheres que enfrentam a doença, prestando suporte físico e emocional a elas. Segundo Janaína Lopes Eleutério, enfermeira especialista em oncologia do Ambulatório de Oncologia do Hospital Paulistano em São Paulo (SP), a empatia é fundamental no processo de cuidado com pacientes oncológicas.

“Nós vemos o sofrimento de pacientes ao receberem o diagnóstico e a primeira pergunta feita é sobre a queda do cabelo. Existe uma mudança de estrutura física, a vida sexual sofre alteração, a autoimagem fica prejudicada e o nosso desafio é conseguir acolher essas pacientes, tendo empatia e entendendo o sofrimento de cada indivíduo para que possamos ajudá-las a enfrentar um momento tão conturbado quanto o câncer”, conta Janaína.

Com objetivo de acolher pacientes que chegam diagnosticadas (ou com a biópsia) no Ambulatório, o Hospital Paulistano conta com um coach oncológico para oferecer suporte e apoio emocional às mulheres. “Sempre incentivamos e conversamos sobre o diagnóstico com cada paciente para reforçar os cuidados e protocolos da quimioterapia. Essa atenção e cuidado individualizado são fundamentais no processo e para a saúde emocional de cada uma”, afirma a especialista. 

Mas, além de prestar suporte para a saúde das pacientes, a enfermagem também precisa de cuidado. “Vemos em outubro um movimento grande de colaboradoras para realizar exames e promover o autocuidado. Essa procura é fundamental para nós também, que vivemos diariamente o câncer e, muitas vezes, esquecemos da própria saúde. Precisamos servir de exemplo e força às colegas e pacientes”, diz Janaína. 

Alerta com a própria saúde, a especialista em oncologia acredita que campanhas como a do Outubro Rosa precisam de atenção o ano todo. “Temos colegas que enfrentam o câncer de mama e de ovário; e são pessoas jovens. Recentemente, recebemos uma paciente grávida de gêmeas que descobriu o câncer no terceiro mês de gestação e, graças ao diagnóstico precoce, teve desfecho positivo. Hoje, a mãe e os bebês estão saudáveis”, conta ela.

“Sabendo da importância do autocuidado para a saúde feminina, nossa maior missão é enfatizar todos os dias o diagnóstico precoce para que o tratamento seja o menos agressivo possível”, completa Janaína.

Mais conteúdos