Semana do dia Mundial da Segurança do Paciente alerta para o autocuidado da enfermagem

A segurança dos profissionais de saúde que promovem o cuidado é fundamental para a segurança do paciente

A enfermagem sempre esteve à frente da gestão do cuidado e, desde a chegada da pandemia do Coronavírus, a necessidade de cuidar também da saúde dos profissionais do setor chamou a atenção. Com o cenário global crítico vivido nos últimos meses, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou uma campanha para que o Dia Mundial da Segurança do Paciente – comemorado no dia 17 de setembro – seja voltado à importância da segurança do trabalhador da saúde como uma prioridade para a segurança dos pacientes.

Com a enfermagem exposta diariamente à situações adversas, os equipamentos de proteção e biossegurança podem ser falhos quando não usados de forma adequada. Segundo a OMS, a adoção de estratégias, capacitação e treinamentos são pilares fundamentais para o cuidado desses profissionais da saúde.

Para a diretora de Práticas Assistenciais do Américas Serviços Médicos, do UnitedHealth Group Brasil, Virginia Maria Ceroni Paraizo, a segurança do paciente está interligada ao cuidado da equipe da enfermagem. 

“A função prioritária da enfermagem é o cuidado, mas o cuidado com qualidade e segurança. A consciência e gestão disso são os escopos de atuação desses profissionais. Eles existem para que a enfermagem vá além em sua ‘arte do cuidar’. É uma questão de ciência”, comenta a diretora do grupo Americas.

Para Virginia, datas comemorativas como a Semana da Segurança do Paciente geram discussões e tomada de consciência, o que sensibiliza e educa a todos. “As equipes de enfermagem precisam se dedicar ao autocuidado. Neste momento de crise global, existem protocolos muito importantes a serem seguidos, específicos para cada momento da jornada de trabalho e que são fundamentais para mitigar os riscos de contaminação e adoecimento de uma doença extremamente desafiadora que é a COVID-19”, diz Virginia.

A proposta da OMS para focar na segurança dos profissionais da saúde – entendendo que a segurança deles é a grande prioridade para segurança do paciente – é de grande valia, acredita a diretora. “O cuidado com a proteção se torna uma premissa na enfermagem. Se não zelarmos pelos nossos profissionais, eles não podem cuidar dos pacientes”, afirma ela.

Em tempos de COVID-19, a diretora alerta ainda para a preocupação com a saúde mental dos colaboradores. “Existe uma preocupação com a saúde mental desses profissionais e, para nós, é o maior desafio do momento. Alguns colaboradores se desesperam quando percebem que estão vivendo uma situação de muito risco e esse conflito carrega uma questão sensível e de apelo emocional”, conta Virginia.

Além da busca por equilíbrio, a diretora do Americas Serviços Médicos acredita que o reconhecimento e a valorização da profissão também são de grande valor. “O empoderamento da enfermagem é necessário para que cada vez mais ocupem o lugar na gestão do cuidado. Isso é fundamental para que a categoria siga firme na linha de frente”, finaliza Virginia. 

Mais conteúdos